quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

E Eu, Chorei






O sol floriu
A manhã acordou

E eu, chorei.

Uma lágrima deslizou
Pela face fria
De ti, que partiste.

E eu, chorei.

Uma estrela brilhou
Na noite tardia
Quando no céu entraste

E eu, chorei.

Chorei por ti e por mim
Chorei de saudade
Chorei, chorei sem fim.


Maria Antonieta Oliveira




quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Beijo-te




Beijo-te,
nesse olhar ofegante
de luxuria e prazer

Beijo-te,
na sombra dos corpos perdidos
espalhados pelo chão

Beijo-te,
na loucura de orgasmos esquecidos
parados no tempo

Beijo-te,
na ânsia
de te reencontrar.


Maria Antonieta Oliveira

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

O Amor Existe








Soltam-se os beijos
nas palavras por dizer
Falam os olhos
os sentires do coração
Unem-se os corpos
num suave entardecer

E,
O amor existe!


Maria Antonieta Oliveira

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

No Meu Canto





Triste e sozinha, no meu canto
deixo que a lua amanheça
e aqueça o meu pranto.

Olho a parede vazia
e a tela sem tinta
Miro de soslaio
o outro lado do espelho
onde tu não estás
e nem a mim eu vejo.

O pêndulo do relógio de pé
silenciou os meus sonhos
acordou as lágrimas esquecidas
adormecidas
nas pálpebras descaídas e já sem vida.

Gotas cristalinas
rolaram pela face fria
Cada uma trazia consigo
Um sonho desfeito
Um caminho não feito
Um rumo perdido
Um amor não vivido.

Continuo triste e sozinha
Aqui, no meu canto.


Maria Antonieta Oliveira

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Possuo-te





Possuo-te
Cada vez que te olho.

Não sentes
a minha saliva gulosa
percorrendo o teu corpo?

Não sentes
a minha língua atrevida
oscilando inquieta?

Não sentes
o meu olhar
penetrando cada poro de ti?

É isso, amor
Possuo-te
Cada vez que te olho.


Maria Antonieta Oliveira

Dança de Palavras






As palavras dançaram
Soltas, ao vento
Rodopiaram, rodopiaram
Bailando ao som
Do seu contentamento.



Maria Antonieta Oliveira