terça-feira, 9 de agosto de 2016

Desencontros






Encosto a cabeça no ombro do teu olhar
Na esperança de te encontrar
Mas tu, teimosamente refugias-te
Por detrás do terno sorriso matreiro
Onde insisto em me perder.

Maria Antonieta Oliveira
09-08-2016



1 comentário:

  1. refugias-te...pois é bom sentir a cumplicidade discreta dum olhar...
    bjs

    ResponderEliminar